Organizando um chá de bebê

Fizemos uma festinha de boas vindas para a Maria – praticamente o aniversário zero! Foram 70 pessoas e umas seis horas deliciosas de festa!  E o mais gostoso: toda preparação da festa foi feito em conjunto, um verdadeiro exército de amigos, família e carinho!

Começou pelo convite! Quem fez foi um grande amigo nosso, o Felipe Meyer. Apenas com o briefing “não queremos nada rosinha e urso de touca” ele pegou bem o espírito do quê seria a celebração.


Ah… importante dizer, abrimos mão da tradição: teve homem convidado, cerveja e nada de brincadeiras.

Para receber o pessoal, decidimos que não queríamos nada pronto. Íamos fazer tudo o que a gente pudesse e organizar a festa de um jeito tranquilo, sem super produções. Aprendi que uma festinha assim se organiza em três eixos: comes e bebes, enfeites e ambiente.

Comes e bebes:

O plano original era encomendar salgadinhos e sanduíche de metro. Riscamos o sanduíche de metro porque achamos que ia ficar muita coisa. Falei com a minha prima que fez um chá de bebê ano passado e serviu quiche com salada + petisquinhos e disse que sobrou um mundaréu de comida. Então, encomendamos 400 salgadinhos (não sobrou muita coisa e também não ficou pouco, deu para ir servindo a festa inteira) + 100 cachorrinhos quente e 100 sanduichinhos de carne louca. Os sanduíches foram feitos por nós mesmos. Encomendamos os 200 pãezinhos, compramos as salsichas, o molho, a carne e os outros ingredientes da carne louca. Foi legal contar com a infra do salão de festas, porque preparamos os cachorrinhos lá. Os de carne louca, levamos de casa, só colocamos o recheio na hora.

Dica: conferir a infra do salão uma semana antes, pelo menos. Fazer uma listinha das coisas que você vai precisar levar. Não subestime a importância dos fósforos, panos de prato, sacos de lixo, papel higiênico, toalha e sabonete!

Os doces foram todos feitos por nós! Uns cem brigadeiros e branquinhos de copinho com confeitos bonitinhos em cima + 300 brigadeiros e branquinhos em forminhas decoradas (mais abertas que as normais, dá um super toque na mesa) + 2 bolos de nozes com baba de moça, feitos pela minha madrinha linda + 100 palitos de fruta cobertos de chocolate.

Compramos as bebidas todas na véspera e colocamos para gelar umas 3 horas antes da festa. Foram cem latinhas de cerveja (sobraram 20), uns 6L de coca-cola (sobraram umas 2 garrafas), 6L de outros refrigerantes (sobrou só uma garrafa de guaraná e outra de h2o); 6L de água mineral, 10L de suco de pêssego e uva (sobrou mais da metade) e 04 garrafas de vinho (usamos 3).

Como dá para ver, tudo super simples! O que dá o charme e amarra tudo são os enfeites! Então:

Enfeites:

Fomos no Palácio dos Enfeites, em Moema, e nos divertimos muito escolhendo as coisas. Vale a pena caprichar! Para deixar a festa linda, nós levamos:

- Toalhas de mesa de pvc de várias cores (uma para cada mesinha)
– Balões de Petit Pois
– Forminhas decoradas, de petir pois, bem abertas (o brigadeiro fica como o miolinho de uma flor e a forminhas parecem pétalas)
– Guardanapos coloridos
– Copinhos e taças de acrílico. Tentamos achar copinho e pratinho de papelão, que são mais ecológicos, mas foi impossível (procuramos em 3 lugares).
– Base de isopor colorido para os palitos de fruta (se puder, procure um material mais ecológico que isopor!)

Aí vai uma foto dos balões que recolhemos no final da festa com o meu barrigão!

Ambiente

Uma coisa que a gente quase esqueceu foi da parte sonora da festa! No dia, foi um deus nos acuda para selecionar músicas e levar um aparelho de som para o salão de festas, já que a gente não morava mais no prédio. Vale lembrar disso antes!

Lembrancinhas

Eu e o Pedro ficamos super indecisos sobre o que dar de lembrancinha. O Pedro achava que lembrancinha era uma coisa meio nada a ver. Eu não conseguia pensar em nada que achasse muito legal. Quando já tínhamos desencanado, meus tios lindos de Salvador apareceram com uma ideia: fizeram um kit guloseimas baianas acompanhados de um cartão que servia como marcador de páginas super colorido (estou esperando as fotos para colocar aqui). No cartão, escrevemos o comecinho da letra do Milton, que é o hit da Maria: Maria, Maria é um dom, uma certa magia, uma força que nos alerta. Ficou lindo, original e com significado! Perfeito :)

O que faltou fazer:
No dia, me dei conta de que deveria ter contratado pelo menos dois garçons para ajudar. Como eu nunca tinha feito uma festa neste formato antes (desde os meus 18 anos que aniversário se comemora no bar), não me dei conta de que garantir salgadinho quentinho a festa toda exige logística. Minhas tias arrasaram nesta função, mas numa próxima, vou lembrar deste item.

Como eu sou maníaca por listas, vou tentar organizar uma todo list de chá de bebê para vocês:

Antes da festa:
– Faça a lista de convidados e mande os convites com pelo menos uns 20 dias de antecedência;
– Levante os contatos dos lugares onde você vai fazer encomendas (no nosso caso: salgadinhos e os pãezinhos)
– Mande um lembrete da festinha e peça confirmação para os convidados uns 10 dias antes da festa
– Faça um balanço de quantas pessoas vão. Eu botei 10% a mais do que confirmaram e deu certo.
– Encomende as comidinhas (usamos a média cinco salgados + 3 sanduíches por pessoa; 5 docinhos por pessoa – deu certo)
– Verifique se no lugar onde vc vai fazer a festa tem fogão, geladeira e freezer

Dois dias antes
– Compre as bebidas, os enfeites, guardanapos, copinhos e etc.
– Se for fazer os docinhos em casa, compre os ingredientes + forminhas + copinhos + confeitos

Um dia antes
– Leve as bebidas para gelar na galadeira do salão
–  Faça o molho do cachorro quente e a carne louca
– Enrole os brigadeiros
– Compre as frutas do palito
– Deixe o aparelho de som e as músicas preparados
PS: fizemos tudo que eu listo aqui como dois dias antes e um dia antes no mesmo dia. Foi meio puxado, por isso aqui dividi em 2.

No dia da festa
– Corte os pãezinhos ao meio
– Faça o molho do cachorro quente
– Corte as frutas, espete no palito e passe no chocolate derretido

Bom, importante frisar que tudo só deu certo deste jeito caseiro porque tinha um timão de mães, avós, tios e tias envolvidos na preparação! Por isso mesmo, foi muito, muito gostoso!

Mudança

Esses últimos dias foram se passaram colocando e tirando coisa de caixa em quase todos os nossos minutos livres. Está quase acabando. No feriado, minha madrinha e seu marido lindos foram lá em casa e nós demos a última rapa. Falta um milhão de coisas (mini-reforma elétrica no banheiro, nova máquina de lavar roupa, quarto da maria, reforma dos sofás, reforma da cômoda da maria, cortinas e mais um monte de coisas. vou parar por aqui senão começo a chorar!), mas o ap encaixotado já virou uma casa.

Nessa mudança, algumas coisas salvaram minha pele e vou compartilhá-las aqui.

A dica número um é levar uma mala de mão com:

- jogo de toalha e lençois – porque ninguém merece abrir caixa e mala tomar banho e arrumar a cama depois de um dia de mudança

- roupas para mais ou menos uns 5 dias – que é um tempo razoável para você conseguir limpar os armários e chegar a vez na fila de você guardar as roupas (porque o que não vai faltar é coisa para você guardar)

- sabonete, shampoo, escova e pasta de dente

No dia da mudança, vale passar no super e comprar:

- copo descartável e uns 2L de água – deixar na casa velha para o pessoal do caminhão ter o que beber;

- mais copo descartável e uns 5L de água – para deixar na casa nova até o seu filtro estar funcionando de novo;

- coisas que sobrevivam por 24h fora da geladeira (porque vc não pode ligar a geladeira por 24h depois da mudança). Ex: pão, pouco presunto e queijo, biscoitinhos, frutas, etc

Antes de começar a embalar tudo, vale ter:

- MUITOS sacos de lixo 100L (pelo menos uns 20)

- MUITOS sacos de lixo 15 a 30 L (pelo menos uns 50)

- Fita adesiva grossa e tesoura (não vá querer ser gênio e encaixotar a tesoura!)

- Desapego: na dúvida, joque fora! Mudança é sempre uma oportunidade para se livrar de cacareco!

Desisti da marmita

Pois então, o título já diz tudo.

Acho que uma boa dica para a mãe urbana saudável wannabe em São Paulo é: procure com calma que você acha um restaurante que atende as suas necessidades. Essa cidade é uma coisa de louco! Como a gente terceriza tudo por aqui! Bom, eu tercerizei o meu almoço! Tenho comido em um restaurante natural, pertinho do trabalho. Eu nunca daria conta de montar em casa um prato tão nutritivo quanto o que eu posso ter lá. Dá para variar as verduras, os grãos, tudo! Pelo menos o almoço fica garantido.

Bom, mas então é o fim do blog? Acho que não. Virar mãe exige muito mais aprendizado além de comer bem.  ;)

Lidando com mudanças na rotina

20 semanas

Eu dei uma sumida do blog, mas juro que tenho uma boa explicação.

Na última segunda (12) a empresa em que eu trabalho mudou para uma sala nova. Eu larguei a vida de home office e vim trabalhar perto da Av. Faria Lima.

Uma alteração só, certo? Claro que não.
Passei uma semana aprendendo o que tem aqui perto, como comer direitinho, etc. Achei alguns restaurantes a quilo legais, mas só encontrei tudo que precisava em um. Por isso agora teremos uma nova fase aqui: vou tentar ser marmiteira – o que é quase mudar de fase nesse jogo de aprender a logística da alimentação saudável da trabalhadora urbana. To tentando providenciar uma daquelas esquenta-marmita, pra não usar o micro-ondas do trabalho. Depois disso, vou ter que aprender a fazer comida para a semana e me equipar de potinhos, tuppers, etc. Hoje vou ao super e depois coloco umas fotos dos meus brinquedos novos aqui.

Outra grande mudança: minhas costas estão me impondo limites! Tem dias que nem tanto, mas em alguns eu simplesmente travo. Geralmente à noite, ou quando está muito frio. Não dá pra andar direito, levantar vira uma uma ação que exige planejamento e, o pior: você precisa lidar com a dor, que às vezes teima em aparecer em qualquer posição. Estou fazendo fisioterapia na clínica e em casa, vamos ver se os exercícios vão conseguir me fortalecer antes que a barriga pese mais ainda. Por isso meninas que têm lordose: antes de engravidar, arrumem essas costas e fortaleçam seus abdomens!!!

A dor nas costas impôs algumas mudanças na vida, entre elas, não levo mais o computador pra casa (e por isso blogo menos). Outra coisa é que fiquei menos portátil. Agora preciso de um colchonete e mais um monte de apetrechos para os exercícios de antes de dormir. Imagine isso para alguém que, até julho, não passava mais de dez dias na mesma cidade e estava sempre com uma mala na mão…